Armas On-Line

Seu Portal sobre Armas, Tiro e Colecionismo na WEB

Página Principal – O Autor

with 1.199 comments

dsc_110611

Armas On-Line – O seu Portal sobre Armas, Tiro e Colecionismo

O autor de Armas On-line, Carlos F P Neto, membro vitalício da NRA (National Rifle Association), é um estudioso de armas de fogo há mais de 50 anos, com ênfase nas peças de emprego militar. Executou trabalhos de consultoria voluntária em alguns museus, como o Museu Paulista (Ipiranga), o Museu Prudente de Moraes (Piracicaba) e o Museu da Convenção de Itú, dentre outros. É também co-fundador e mantenedor do site Atiradores e Colecionadores.  Neste trabalho, ele aborda o assunto Armas de Fogo no que se refere principalmente à sua história, colecionismo, preservação das peças, recuperação, tiro esportivo e avaliações técnicas. Os artigos mostram boa quantidade de informação, fotos e diagramas, mantendo o assunto acessível até para os não iniciados na matéria.

Este trabalho não incentiva o uso e manuseio inadequado e ilegal de armas e munições bem como não promove a comercialização de materiais relativos ao assunto. As informações ou instruções contidas nos artigos só devem ser levadas em conta por pessoas habilitadas e o autor não se responsabiliza por danos causados pela má interpretação destas informações. Lembramos que armas de fogo, munições e equipamentos de recarga são produtos controlados, sejam da alçada da Polícia Federal como do Exército, e que todos tem o dever de se manter rigorosamente dentro do que estabelece a lei.

Os artigos sofrem revisões periódicas e neste caso, estarão devidamente assinalados junto ao título dos artigos. Todo o conteúdo do site, textos e material fotográfico, não poderá ser utilizado em outro meio de divulgação, seja ele revistas, sites, blogs, jornais, etc., sem a devida autorização do autor, pois é protegido por direitos autorais. Os infratores serão punidos na forma da lei.

REGRAS IMPORTANTES DESSE SITE E COMENTÁRIOS:  ARMAS ON-LINE não comercializa e não intermedia negociações de armas, peças e acessórios. Se necessitar de peças ou de assistência técnica, entre em contato com o seu fornecedor ou fabricante. O espaço de comentários se destina à enviar elogios, críticas, correções, sugestões ou dúvidas sobre o assunto. Todos os comentários são avaliados; o uso desse canal para anúncios de compra e venda e troca de informações entre leitores, não será permitido. Não respondemos perguntas sobre procedimentos ilegais, como adaptações e transformações mecânicas em armas de fogo que permitam utilizar outros cartuchos, alterar seu funcionamento, aceitar dispositivos silenciadores, etc. Comentários que não se encaixam nessas regras são eliminados. 

AVALIAÇÕES E IDENTIFICAÇÕES: Os leitores interessados em fazer avaliações ou identificações de armas de coleção, antigas e de uso pessoal, devem antes de mais nada tomar conhecimento, em nosso menu, da Política de Avaliações e Identificações e concordar com suas regras. 

Obrigado por sua visita e aguardamos comentários, críticas e sugestões.

E-mail: armasonline@gmail.com

São Paulo, Maio de 2009

sfsdfsd

Banner_blogOnline_4

 

 


Written by Carlos F P Neto

03/08/2009 às 11:51

1.199 Respostas

Subscribe to comments with RSS.

  1. Tiago, o dispositivo “decocking” nunca foi oferecido na PT-57 para mercado interno, mas havia nas PT-57SC para mercado externo. Nas PT-58S também não existiam; posteriormente ele foi fornecidos na versão PT-58SD e na PT-58HC. O que facilita perceber se há ou não a existência do sistema é verificar que a tecla lateral da trava de segurança possui tres posições ao invés de duas: inferior (aciona o decocking), central (arma destravada) e superior (arma travada).

    Carlos F P Neto

    21/05/2016 at 15:26

  2. Carlos, bom dia. Parabéns pelo canal e pelo rico conhecimento. Li o artigo das PT 57 e suas variações e vi que nesta arma ainda não existia o desarmador do cão (deckoking). A minha dúvida é se esse sistema existe na PT 58 S . Pesquisei brevemente sobre algumas 58 e me parece que em algumas existem, devendo ser, acredito, versões posteriores. Será que isso procede? as primeiras PT 58 S, assim como as 57, não tinham o desarmador do cão?.. e se positivo, como é possível identificar (sem que seja necessário um 2º escalão) se esse sistema existe na arma ou se há uma quebra do mesmo? Obrigado

    Tiago

    20/05/2016 at 11:15

  3. Prezado Daniel, saudações. Realmente essa história envolvendo essa arma é, no mínimo, intrigante. Eu não vejo nada que possa afirmar que essa arma não era de um integrante do Graf Spee, uma vez que foi cedida por um tripulante daquele navio, conforme seu relato. A grande pena disso tudo é ter se perdido a identidade dessa figura que a cedeu, que provavelmente não se encontra mais vivo. Somente pela numeração é impossível de se rastrear qualquer coisa. Além disso não podemos esquecer que essa arma foi produzida antes da I Guerra, e pode, sem dúvida, ter participado desse evento nas mãos da mesma pessoa, ou ter vagado pelos arsenais até a II Guerra, caindo nas mãos desse marinheiro. Apreciaria, claro, mais alguns detalhes históricos. Se houvesse algo que comprovasse com mais transparência a presença dela no navio, claro que tem importância histórica. O impacto no valor de mercado poderia não ser tão significativo, mas haveria algum. Mas, importante também é o estado da peça, quanto à conservação e originalidade. Vamos trocar algumas idéias através do nosso e-mail armasonline@gmail.com. Grande abraço.

    Carlos F P Neto

    25/04/2016 at 9:57

  4. Olá Carlos. Primeiramente parabéns pela criação desse canal de comunicação e, principalmente, por compartilhar esse acervo tão rico e servido do seu grande conhecimento.

    Depois de horas de leitura, fui estimulado a falar um pouco da minha Luger e pedir um suporte para encontrar a última peça dessa história. Qual?? Quem usou essa Luger?

    Tenho uma Luger P.08 (1913-Erfurt), exatamente com os símbolos contidos nas imagens da matéria “Pistola Parabellum “Luger” e de numeração 6999. Parece ser uma das primeiras após a dotação do exército Alemão, já que foram produzidas ~2MM (incluindo as fábricas da D.W.M.)

    A história dessa Luger é surpreendente e rica em detalhes, incluindo sua concepção, onde também ocorreu o primeiro tiro da Segunda Guerra Mundial efetuada pelo navio Graf Spee (Afundado pelos próprios Alemães após notarem que a batalha estaria perdida, evitando baixas ou deixar resquício de sua avançada tecnologia bélica aos “inimigos”) na costa do Uruguai.

    Vale a pena ler a história do Graf Spee.
    https://pt.wikipedia.org/wiki/Admiral_Graf_Spee

    Essa Luger veio do Uruguai, comprada de um ex combatente do Graf Spee e que retornou ao Uruguai após abandonar o Navio. Essa Luger foi passando de geração para geração, deixando a história, quase completa, aos que a possuíam. Quase pelo fato de nunca recordaram o nome do Alemão que vendeu, pois tinha uma difícil pronuncia/dicção. Qual era o nome dele??? essa á a peça que falta. Claro que depois de saber o nome, outro estudo seria iniciado mas a história já estaria completa. :)

    Com o número de série é possível identificar nomes, datas, batalhas presentes?? O valor da Luger sofreria alteração devido a história? há comércio?

    Se desejar, terei o prazer de compartilhar mais detalhes da história.

    Mais uma vez parabéns pelo excelente canal de comunicação.

    Muito Obrigado e abraços.

    Daniel

    24/04/2016 at 22:01

  5. Luís Américo, você deve estar se referindo à marca Gadiator e não Gladiador. GLADIATOR foi uma das marcas próprias (marcas de fantasia) utilizadas em armas vendidas pela Sears, que foi grande importador e distribuidor de armas no Brasil. Geralmente eram usadas em armas produzidas por Albert Aubre, mas também usada em armas da Marlin, Stevens, H&R, Mossberg, High Standard e até em algumas produzidas pelas nossas fábricas Rossi, Boito e CBC.

    Carlos F P Neto

    21/04/2016 at 20:28

  6. Reginaldo, saudações. Não sei o motivo, mas provavelmente mercadológico. Abraços.

    Carlos F P Neto

    20/04/2016 at 19:07

  7. Bom Dia Carlos, poderias nos informar o por que da Pistola Taurus PT 58 S ter DESCONTINUADO a sua fabricação ? Já consultei a própria Taurus e eles ainda Não nos retornaram.

    Reginaldo Falcão

    20/04/2016 at 10:40

  8. Olá, gostaria de saber se você tem alguma informação sobre a fabrica de armas “Gladiador”, lembro que na minha adolescência quando ia visitar a minha avó sembre manuseava uma espingarda em cal. 36 da marca Gladiador. Infelizmente depois que ele se foi um de seus filhos se desfizeram da arma.

    Luís Américo Longo

    20/04/2016 at 1:22

  9. José Luiz, pode não ter ficado muito clara a minha posição, mas realmente sei que é o EB que autoriza e controla as importações de armas; porém, o que eu quis comentar ao leitor é que não é o EB que determina se uma arma pode ou não ser importada baseando-se nos conceitos de similaridade ou de concorrência com o mercado interno. Para mim isso é atribuição do CADE. O que o EB pode impedir é a importação de determinadas armas baseando-se em suas especificações e empregos táticos.

    Carlos F P Neto

    11/04/2016 at 20:20

  10. A importação de armas é de competência do Exército sim. Se não houver autorização do mesmo, é ilegal, está previsto no R-105, Regulamento de Fiscalização de Produtos Controlados.

    José Luiz Caras

    11/04/2016 at 19:37

  11. André, isso me parece boato, não tomei conhecimento de tal portaria e creio que tal assunto nem é de competência do EB, no que tange às importações para fins comerciais. O que houve, em 2014, foi uma importação de 3.000 pistolas que a PF queria fazer e o EB barrou baseado na lei de proteção à produtos similares da indústria nacional. A importação dessas pistolas continua sendo feita normalmente via importadores legais e à venda em várias lojas representantes, como a Áz de Espadas, em Curitiba e Ponta Grossa, e a Falconarmas também de Curitiba.

    Carlos F P Neto

    12/02/2016 at 10:13

  12. Boa noite Carlos, soube que uma nova portaria do exercito brasileiro determinou que a importação da GLOCK, fique proibida é verdade?

    André Nery

    11/02/2016 at 20:04

  13. Prezado Anfrísio, por gentileza, leia antes a nossa Política de Avaliações e Identificações, no menu do site. Obrigado.

    Carlos F P Neto

    05/02/2016 at 18:04

  14. Boa noite Sr. Carlos,
    Um parente meu adquiriu uma arma antiga e me procurou para se informar sobre a mesma, as não tive respostas para ele, por isto venho consultá-lo. Me parece ser uma cartucheira, mas está mau cuidada, poré, consegui visualizar sobre a culatra, que é sextavada, o nº 9, uma marca de prova e abaixo do 9 parece-me que é M/M e na culatra, do lado direito, no primeiro chanfro do sextavado, a inscrição em maiúsculas: ESPINGARDA MINEIRA. O mecanismo de extração e carregamento é na parte de cima da culatra, devendo ser puxado para a frente. Tem numeração no lado esquerdo. Ele colocou uma bala .38 e disse que atirou com uma e funcionou muito bem. Verifiquei p cano e me pareceu ser de alma lisa, mas está sujo e parece-me que com alguns “calos” internos. Fiz isto pensando na possibilidade de ser um rifle 9 mm antigo,mas parece que não, pois o cano parece ser liso, sem raias. Não consegui me certificar das medidas da câmara. O cão é de modelo bem antigo, com a superfície que “bate” na agulha percutora mais ou menos do tamanho de uma moeda de dez centavos. Poderia me informar melhor sobre esta arma???

    ANFRÍSIO DE ACEDO LIMA

    04/02/2016 at 0:16

  15. Enaldo, infelizmente esse cartucho é difícil, fico devendo.

    Carlos F P Neto

    03/02/2016 at 17:55

  16. Boa tarde!!!
    Carlos, tenho uma arma 32-20 registrada e participo do clube de tiro, como eu faço para adquirir munição desta arma, conhece alguém que possa me vender, se sim por favor me avise. Obrigado.

    Enaldo C. Lucena

    03/02/2016 at 17:29

  17. Boa tarde Carlos FP Neto, tenho uma winchester modelo 1894 a qual ja lhe passei o numero de chassi e o senhor me confirmou que ela eh do primeiro lote de 1894, gostaria de saber mais sobre a historia desse rifle, pouca gente até do clube de tiros aqui de minha cidade conhecem sobre ele, como vieram para o Brasil? será que vieram muitas unidades?
    Desde ja agradeço atenção Dr Carlos e se tiver alguma dessas informaçoes por favor divida as comigo.
    grande abraço.

    jaciro junior

    26/01/2016 at 14:08

  18. Erick, infelizmente não consta o e-mail dele na mensagem que me mandou. Coloquei uma resposta no tópico para que ele entre em contato, mas não sei se vai ler. Abraços.

    Carlos F P Neto

    28/12/2015 at 22:02

  19. Carlos, seria possível o amigo me colocar em contato com o leitor François Ruprecht? Em um dos posts ele demonstrou interesse em se desfazer de uma Winchester e uma Marlin, tenho interesse em negociar com ele. Grato.

    Erick Tamberg

    28/12/2015 at 17:59

  20. Flávio, muito interessante essa sua solicitação. Pensaremos com carinho em um artigo sobre as Madsen, que tem seu espaço muito importante na história do nosso Exército, e apesar de que o senhor armeiro a chamava de “peça de museu”, mal sabia ele que até hoje a Madsen, às vezes, aparece participando de conflitos urbanos nas favelas do Rio, nas mãos da PMRJ. Grande abraço.

    Carlos F P Neto

    25/12/2015 at 12:00

  21. Prezado Sr Carlos, gostaria de sugerir que o Sr escrevesse um artigo sobre a história das metralhadores Madsen no Exército Brasileiro. Refiro-me às metralhadoras leves de apoio de pelotão, e não às submetralhadoras. Acho que fui um dos últimos no Exército a aprender seu manejo e a atirar com uma delas, no início da década de 90, ainda no calibre .30. Na época, nosso armeiro já comentava que era “peça de museu”, mas não sabia nada sobre a história da arma. Entraram em uso suspenso em seguida, e poucos anos depois, mais ou menos em 1995, foram recolhidas e descarregadas. Fica a sugestão. Um abraço.

    Flávio

    23/12/2015 at 18:03

  22. Nerivaldo, eu não consegui entender bem qual a sua necessidade; a potência gerada por um projétil é medida em joules, ou libras/pé, e muda de acordo com inúmeras variáveis, como carga utilizada, peso do projétil, velocidade e distância da boca do cano ao alvo, etc. Veja se isso lhe serve.

    Carlos F P Neto

    17/12/2015 at 13:48

  23. Boa Tarde, se possível, preciso saber com precisão, qual o peso disparado do calibre .38 em um vidro balístico; calibre .40; calibre 9mm; calibre 12mm; calibre 380 e calibre 5,56, ambos no mesmo objeto. Obrigado, Selva!

    nerivaldo sousa da silva

    16/12/2015 at 19:21

  24. Cilter, posso não estar 100% correto na afirmação mas eu acredito que foram as pistolas Walther PP e PPK as primeiras a oferecerem uma trava desse tipo. Abraços.

    Carlos F P Neto

    16/12/2015 at 10:42

  25. CARO AMIGO SENHOR CARLOS ,QUAL FOI A PRIMEIRA PISTOLA Á ADOTAR O SISTEMA DE decocking SISTEMA ESTE DE DESARME DO CÃO? OBRIGADO GILTER

    CILTER DONIZETE

    15/12/2015 at 19:13

  26. Abrahão, no nosso artigo sobre as armas curtas na I e II Guerra Mundial, falamos sobre revólveres e pistolas francesas. Abraços.

    Carlos F P Neto

    20/11/2015 at 22:09

  27. Boa noite, gostaria de saber um pouco mais sobre o armamento francês, notadamente sobre as pistolas. Temos muita informação sobre as pistolas americanas, mas nada sobre as européias. grato

    abrahao pedro da silva

    20/11/2015 at 3:36

  28. Christian, no momento não será possível, infelizmente; estamos trabalhando e finalizando um artigo. Agradeço seu contato e ficamos devendo.

    Carlos F P Neto

    16/11/2015 at 13:58

  29. Ola.

    Estou desenvolvendo um trabalho acerca de armamentos desenvolvidos logo após a II Guerra Mundial, como é o caso da Arma Automática de Kalashnikov modelo de 1947. Você poderia me ajudar com algum artigo sobre esse armamento? Obrigado

    christian_41_RI_Mec

    16/11/2015 at 11:42

  30. Alan, saudações. Por gentileza, leia antes a nossa Política de Avaliações e Identificações, no menu do site. Obrigado.

    Carlos F P Neto

    12/11/2015 at 9:38

  31. Bom dia meu caro, será que vc ou alguem que conheça, pode me ajudar com a identificação de uma espingarda de cano duplo e duplo gatilho? Para onde posso enviar fotos?

    alan

    12/11/2015 at 9:01

  32. Felipe, saudações, estamos com projeto de revisão de nosso artigo sobre as antigas fábricas de armas no Brasil, e sem dúvida teremos algo sobre a URKO. Grande abraço.

    Carlos F P Neto

    06/11/2015 at 10:52

  33. bom gostaria se possível uma matéria sobre os rifles URKO a pedido do meu pai q e militar e gostaria de conhecer mais sobre a historia.Obrigado!

    Felipe entalhe.

    05/11/2015 at 14:37

  34. Eduardo, infelizmente aqui no Brasil não temos muito a escolher dentro do cenário de produção local, senão dentre a Imbel e a Taurus. Particularmente, se fosse para meu uso, ficaria com a Imbel MD1A1. Outra escolha recairia sobre a Taurus PT-938. Claro que como em qualquer aquisição de bem de consumo, entra aí um pouco do gosto e opiniões pessoais. Mas o histórico de confiabilidade e segurança que tenho sobre essas duas pistolas é muito favorável. Abraços.

    Carlos F P Neto

    04/11/2015 at 16:58

  35. Boa tarde, Carlos!
    Estou interessado em adquirir uma arma para porte diário, dentre os fabricantes nacionais quais modelos o senhor indicaria, atendendo aos quesitos de qualidade e porte velado.

    Eduardo Andrade

    02/11/2015 at 17:06

  36. Marcos, por gentileza, leia antes a nossa Política de Avaliações e Identificações, no menu do site. Obrigado.

    Carlos F P Neto

    09/10/2015 at 10:25

  37. Bom dia

    Tenho um amigo que teria uma arma antiga ele é um Sr. de idade e pediu p/ mim se teria alguém que tivesse interesse de avaliar e comprar a arma O nome dele é Nério os tel. de contatos 13-996546288 ou 13-997881422 o modelo da arma é:

    Winchester Flobert modelo 36 Shotgun

    Pat. 29 agosto 1899

    Cal. 9 mm Rimfire

    Gostaria se fosse possível entrar em contato direto com ele nos tel. acima descritos

    Fico agradecido

    Marcos

    Marcos Antonio

    09/10/2015 at 8:28

  38. muito bom!! Queria uma matéria sobre a Desert Eagle se fosse possível. Abraço!

    will

    27/09/2015 at 11:59

  39. Prezado Pedro, infelizmente, contraditório ou não, correto ou não, essas são as normas vigentes. Abraços.

    Carlos F P Neto

    02/09/2015 at 19:10

  40. Bom dia , estava lendo sobre os requisitos para obter uma arma de fogo e observei que tanto para ter como posse ou para portar a arma , um dos requisitos é não está respondendo a inquérito policial ou processo criminal. Gostaria de entender um pouco mais sobre isso, pois até onde eu sei, todos são inocentes até que se prove o contrário. Esse requisito não seria no mínimo contraditório em relação à legislação ? Uma fez que não há nada transitado em julgado. Gostaria de esclarecer essa dúvida. Desde já obrigado.

    Pedro

    28/08/2015 at 3:11

  41. Fábio, para importar essa arma, além de que você deverá estar com seu CR devidamente ativo, precisará de uma Fatura Proforma da loja e depois obter um C.I.I. (Certificado Internacional de Importação). O mais fácil é ir à um despachante acostumado com esses trâmites ou obter informações no SFPC de sua região.

    Carlos F P Neto

    27/08/2015 at 11:18

  42. Estou interessado em adquirir uma 24/7 G2 inox, sou PM, entrei em contato com a Taurus e disseram que parou de ser fabricada em fevereiro deste ano, mas nos sites dos EUA esse modelo está a venda, existe alguma forma de importar esse modelo?

    Fábio Cardoso

    25/08/2015 at 16:50

  43. Wagner, seus comentários são bem vindos e concordamos com que as entidades de colecionismo busquem maior apoio dos CACs nesse sentido. Grande abraço.

    Carlos F P Neto

    16/08/2015 at 17:27

  44. Carlos, creio ser importante notarmos que o art. 47 da Portaria colog 1 estabelece uma anistia, ou seja, a possibilidade de se registrar (legalizar) armas que tenham interesse para a preservação do patrimônio histórico nacional, DESDE QUE seja feita uma portaria do IPHAN ou do próprio Exército estabelecendo quais armas são importantes para a preservação do patrimônio histórico. Portanto, temos diante de nós a possibilidade de auxiliar na legalidade de vários acervos de fuzis, pistolas e demais armas que hoje estão na ilegalidade, porém estamos dependente de que seja feita tal portaria. Gostaria de sugerir aos colegas e em especial aos representantes de associações para que intervenham perante o IPHAN para que seja elaborado tal lista de armas que possam ser finalmente registradas! E como sugestão eu diria para que se incluíssem todas as armas que já foram de dotação do Exército do Império e da República do Brasil bem como as armas que se destacaram em determinados fatos históricos nacionais. Porém vejam, há que se encaminhada tal lista para o IPHAN para que seja elaborado uma portaria neste sentido. Gostaria ainda que difundisse tal ideia, como um importante formador de opinião através de seu excelente site! Ou você poderia ainda formar uma lista para que então fosse encaminhada. Creio que esta foi a única coisa boa que a nova portaria trouxe, porém os CACs ainda não se atentaram para tal possibilidade. Abraços e obrigado.

    Wagner

    13/08/2015 at 19:39

  45. Antonio, infelizmente a lista seria um pouco extensa para ser publicada aqui. Mas o site Amazon oferece uma infinidade de opções e enviam para o Brasil. Livros nacionais sobre armas clássicas e antigas, praticamente, não existem.

    Carlos F P Neto

    11/08/2015 at 19:06

  46. Ramon, favor ler antes nossa Política de Avaliações: https://armasonline.org/avaliacoes/

    Carlos F P Neto

    11/08/2015 at 18:58

  47. bom dia, tenho um smith wesson 44 russian em perfeito estado de conservaçao e funcionamento, poderiam me dizer o valor desta peça?obrigado

    ramon

    11/08/2015 at 13:13

  48. Carlos, parabéns pelo site, gostaria se possível algumas indicações de livros sobre armas, principalmente as clássicas, podem ser em inglês ou espanhol. Abraço.

    Antonio Gomes Ferreira Filho

    27/07/2015 at 9:55

  49. Olá André, a numeração serial dos Colt modernos, isso inclui os Python, situam-se em tres lugares: Na armação, bem debaixo do cano (necessita abrir o tambor para ver); no suporte do tambor, que articula com a armação (também necessita abrir o tambor, está estampado justamente oposto ao número da armação) e finalmente na face interna da placa lateral (mas não a remova pois há possibilidade de causar danos estéticos na peça, sem uso de ferramentas adequadas). As datas de fabricação até 1985 estão aqui:
    1955 1
    1956 300
    1957 1650
    1958 5550
    1959 7050
    1960 9100
    1961 13100
    1962 18800
    1963 24800
    1964 30800
    1965 41400
    1966 50500
    1967 61000
    1968 73800
    1969 90000-99999 90000, Início da série “E” – E1001
    1970 E6301
    1971 E21201
    1972 E38001
    1973 E53501
    1974 E61001
    1975 E83701-E99999, 01001E a 15000E
    1976 15001E-48300E
    1977 48301E-86200E
    1978 86201E-99999E, 01001N a ????, V01001
    1979 V36737
    1980 V88374 a V99999, AL0101 to AL9999, LA0101 to LA9999, VA1001 a VA9256. K01000 a ????
    1981 K16266
    1982 K75748
    1983 K99999. T01001 a ????
    1984 T27541
    1985 T34453

    Após 1985 a Colt só fornece as datas por contato telefônico. Abraços.

    Carlos F P Neto

    14/07/2015 at 18:56


ATENÇÂO: Identificação e/ou avaliações de armas, leia primeiro a Política de Avaliações, no final do menu de Artigos. Peças, reparos ou assistência técnica, consulte o fabricante de sua arma; questões sobre esse assunto não serão respondidas.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alteração )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alteração )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alteração )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alteração )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 1.357 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: