Armas On-Line

Seu Portal sobre Armas, Tiro e Colecionismo na WEB

Mosin-Nagant, o Tres-Linhas do Czar

Figura 1 – Soldados russos, provavelmente da época da I Grande Guerra, armados com o FUZIL MODELO 1891 DE 3 LINHAS.

Por iniciativa do czar Alexandre III, ainda que com relativo atraso em relação às potências ocidentais, a Rússia czarista adota, em 1891, seu primeiro fuzil de repetição em pequeno calibre e de pólvora sem fumaça. Tratava-se do fuzil Mosin-Nagant 1891, calibre 7,62x54Rmm, ou 3–Lineyaya Vintovka Obr 1891 (3–Линейaйa Винтовкa Обр1891 no original em cirílico), tendo surgido da união de partes de projetos do Coronel S. I. Mosin e de Léon Nagant, sendo o primeiro o idealizador do sistema de trancamento e o segundo, desenhista do carregador.

 

 

Figura 2 – Vista do ferrolho aberto e do prático sistema de desmuniciamento e limpeza do carregador


Figura 3 – Mosin-Nagant M 1891 com a culatra aberta

Trata-se de um fuzil de ferrolho de desenho relativamente tradicional com coronha de madeira, de construção robusta e grandes dimensões, nos mesmos padrões das armas adotadas por outros países nessa época, como o Gewehr 1888, Lee Metford, Lebel e Carcano, tendo uma cadência de aproximadamente 12 tiros por minuto. A baioneta era do tipo “chuço”, cruciforme, medindo 507 mm ( 20 polegadas ) de comprimento.

Figura 4 – Vista lateral da arma e de sua grande alça de mira

A arma era totalmente construída pelo método de usinagem, exigindo mais de mil operações de máquina para sua confecção. Quanto à fabricação, foi entregue ao arsenal de Tula, próximo a Moscou, e aos arsenais de Sestroreck e Iijisvski, mas como as quantidades exigidas (dois milhões de fuzis, em suas diferentes variações) eram muito acima da capacidade desses estabelecimentos, foram feitas encomendas suplementares no arsenal de Chatelleraut (503.539 fuzis) na França, à S.I.G. na Suíça e Waffenfabrik Steyr da Áustria.

Figura 5 – Vista explodida

O batismo de fogo do Mosin foi na malfadada (para os russos) Guerra Russo-Japonesa, onde os russos foram derrotados pelo recentemente modernizado Japão. Quando eclodiu a I Grande Guerra, em 1914, os arsenais russos mostraram-se novamente incapazes de satisfazer a grande demanda por armas, sendo necessário recorrer novamente a fabricantes estrangeiros. Dessa vez foram os americanos que atenderam ao pedido: a Remington entregou cerca de 850.000 exemplares, e a Westinghouse produziu cerca de 770.000. Uma encomenda posterior, de 280.000 armas ficou retida nos EUA devido ao embargo imposto pelos aliados ocidentais à Rússia quando rebentou a revolução de Outubro de 1917.

Essas armas foram compradas pelo governo americano e usadas para o treinamento de recrutas. Posteriormente parte dessas armas foi vendida à National Rifle Association (NRA) pela módica quantia de 3 dólares. Muitas dessas, convertidas para o calibre .30-06, acabaram chegando ao Brasil, antes da II Guerra Mundial.

Figura 6 – Inscrições em alfabeto cirílico sobre a câmara de um Mosin de fabricação russa. Note a águia imperial russa e o ano de fabricação

Figura 7 – Exemplar de fabricação Remington, posteriormente convertido para 30-06. Note que foi necessário recuar o cano para a execução da nova câmara, o que cobriu parte das inscrições

Além de participar de duas Grandes Guerras e da Revolução Russa, a arma ainda foi utilizada pelos comunistas chineses em suas lutas contra japoneses e contra as tropas da China Nacionalista, bem como nas guerras da Coréia, Indochina Francesa e Vietnã, além de ser distribuída a países satélites da URSS na Europa Oriental e até África. A Finlândia, quando se tornou independente da Rússia após 1917, continuou a usar e fabricar o fuzil.

Talvez tenha até acontecido de algum soldado francês ou americano ter sido alvejado por um fuzil Mosin fabricado 5 ou 6 décadas antes em seu país, por um ancestral seu. Triste coincidência…

Figura 8 – O fuzil pára na vertical, apoiado somente na soleira

Variações Produzidas do Modelo Original

Versão

Rifle M1891

Dragoon Rifle M1891

Rifle M1891/30

“Sniper” Rifle M1891/30

Carbine 1910

Carbine M1938

Carbine 1944

Comprimento

1304,8mm

1238,2mm

1231,9mm

1231,9mm

1016,0mm

1016,0mm

1016,0mm

Peso

4,360 Kg

3,970 Kg

3,950 Kg

5,130 Kg

3,300 Kg

3,460 Kg

4,030 Kg

(com baioneta fixa)

Figura 9 – Da esquerda para a direita, um exemplar de .30-06, um 10,75x58Rmm (Berdan Russo), um 7,62x54Rmm de fabricação polonesa, um 7,62x54Rmm de fabricação soviética e um 7,62×39 de fabricação chinesa

(*) A Rússia não adotava o sistema métrico decimal, usando diversas medidas arcaicas, assim como ainda utilizava o antigo calendário Juliano, com uma defasagem de 10 dias para o calendário ocidental. A LINHA russa equivalia a 1/10 de polegada, ou 2,54 mm .

Assim temos que :
3 linhas X 2,54 = 7,62 mm
Cabe lembrar que o 7,62x54Rmm continua em uso nos fuzis Dragunov.

 

Colaboração de José Renato Marini Figueira

Written by Carlos F P Neto

24/06/2017 às 20:09

%d blogueiros gostam disto: