Armas On-Line

Seu Portal sobre Armas, Tiro e Colecionismo na WEB

A Tercerola Winchester 1873

A Espanha sentia, no início da década de 1880, uma urgente necessidade de procurar novas armas para substituírem as suas regulares, que no momento eram milhares de fuzis e clavinas de retrocarga e tiro simples, como os Remington rolling block e outros modelos com mecanismo do tipo Peabody e Berdan de alçapão.

A Tercerola Winchester modelo 1873

A Tercerola Winchester modelo 1873

A Cia. Winchester, habilitando-se à concorrência, apresentou ao militares espanhóis algumas versões de seu modelo 1873 (conhecida por “papo amarelo” aqui no Brasil), sendo que as seguintes variantes dessas armas eram um fuzil de infantaria, uma carabina para uso da cavalaria e um mosquete para uso das tropas de artilharia e corpos auxiliares. Como sempre, a rapidez de tiro e a facilidade de municiamento agradaram, mas o mecanismo “toggle action” foi considerado delicado para o uso militar.

Ao que parece, mesmo que as dúvidas prevalecessem, a arma havia agradado. Assim, em 1879, chegam 230 unidades; esta versão tinha cano de 22 polegadas, pórtico de carregamento com um rebaixo à frente, telha integral cobrindo o cano quase até a ponta, ponteira de metal na frente da telha, que abrigava uma inusitada vareta de limpeza metálica inserida no interior do fuste, sendo este o único modelo da Winchester com esta característica (consta como listado no catálogo da fabricante como “modelo espanhol”), e não portava baioneta. Outros 100 mosquetes, com o mais tradicional cano de 30 polegadas chegaram em 1891. Todas estas armas eram em calibre 44-40 (44 WCF).

Os espanhóis não utilizariam a arma americana nas tropas de 1ª linha, pois os seus testes deram correta preferência ao fuzil Mauser como arma longa regulamentar. O modelo “Turco/Belga” de 1889 foi adotado em 1892, com as modificações requeridas, que dariam origem à soberba arma conhecida como Mauser modelo espanhol 1893 (praticamente o mesmo modelo que seria adotado pelo Brasil, ligeiramente modificado, em 1894).

Para não fugir a regra, em 1891, iniciava-se a fabricação sem compra de patente ou direitos, de uma cópia espanhola da Winchester 1873, ficando a manufatura a cargo da Real Fábrica de Oviedo, com uma produção, segundo consta, de mais ou menos 2.500 unidades no período 1891/92 (daí a marcação “Artillería – Oviedo 1892”).

Alguns autores preferiram chamá-la de carabina do sistema Winchester modelo 1876, pois esta já reuniria algumas características dos mosquetes do posterior modelo Winchester 1876, embora o modelo original NUNCA tivesse usado o calibre 44-40. Este (1876) era, na prática, um modelo 1873 com caixa de culatra “esticada” para comportar calibres mais longos e com maior energia cinética como o 45-60 WCF, 45-75 WCF, e o 50-95 WCF, a denominação oficial, conforme a Real Ordem (R.O.) de 1893, era “Tercerola Winchester Modelo 1873”. As armas seriam destinadas ao 14º Tercio da Guardia Civil (substituindo a tercerola Remington mod. 1871) e a Escolta Real (uma fonte militar espanhola ainda cita a Seção montada do Colégio de Guardas Jovens de Valdemoro.)

Nos aspectos gerais, o funcionamento e a aparência eram de um mosquete Winchester 1876, excetuando-se, claro, alguns detalhes.

O cartucho conhecido na Espanha como 10,6 mm para Tercerola Winchester (os espanhóis, em alguns casos de armas oficiais, curiosamente ligavam o nome do cartucho a arma que o disparava; assim não teremos o .44 Winchester, mas sim .44 para carabina Winchester, bem como 9 mm para a pistola Campo Giro e não 9 mm Campo Giro, etc). As características gerais desta munição eram praticamente as mesmas do cartucho original 44-40, com projétil de chumbo e carga de projeção de pólvora negra condizentes. Vale dizer que este cartucho inaugurou na Espanha a era dos cartuchos metálicos de base sólida integral ao estojo (e não encaixada e depois soldada), diferenciando-se pela maior segurança no momento do disparo de outros tipos usados anteriormente (como os Berdan 11 mm, Remington 11 mm, e os do revólver 1884).

Apesar do modelo 1873 usar cartuchos originalmente de pólvora negra, segundo dizem, a sua robustez permitia o uso de cartuchos carregados com pólvora sem fumaça.

Suas características técnicas eram:

  • Comprimento: 985 mm
  • Comprimento do cano: 559 mm (22 pol) de formato cilíndrico.
  • Peso: 3,46 kg
  • Calibre: 10.6 mm (44-40)
  • Capacidade do carregador: 10 cartuchos.
  • Raias: 5 helicoidais
  • Alça de mira: De corrediça graduável de 200 a 800 metros.
  • Sistema de funcionamento: Ação de Alavanca (lever action) semelhante ao sistema da Winchester Modelo 1873, mas com características da caixa de culatra aparentadas ao da carabina Winchester modelo 1876.

 

A carabina Tigre

Carabina Tigre

A carabina de repetición “Tigre” era uma cópia, com certas modificações, da carabina Winchester modelo 1892. Foi produzida com algum sucesso pela firma Gárate, Anitúa y Cía de Eibar, a partir de 1923. A principal diferença residia na alça de mira, que parecia com a da carabina Mauser espanhola 1895, de regulagem “corrediça” graduada até 1000 m, bem como a massa em “V” invertido, montada sobre a braçadeira do cano; interessante notar que aparecem, as vezes, algumas versões com a massa de mira colocada no cano e a alça de mira em degraus, mais similar a das Winchesters ( o que nos levaria a pensar que houveram diversas versões no tempo que a arma ficou em fabricação?). Foi bem popular na Espanha para caça e defesa rural, sendo usada inclusive pela Guardia Civil, Policía de Ferrocarriles, e Corpos de Guardas Juramentados.

 

Detalhes da massa de mira e braçadeiras em versões diferentes: a variação da direita possui a mira montada na própria braçadeira

Foram exportadas também para alguns países da América do Sul, inclusive o nosso, e até para os EUA. O calibre era o mesmo do modelo original: .44-40/44 WCF, conhecido na Espanha pela denominação civil de 44 Largo (longo). Mas deve-se ressaltar que nesta época já eram carregados com pólvora sem fumaça. Comenta-se que seria uma boa cópia, bem robusta e mais barata que a inspiradora. Apesar de difícil de ser ver, não é impossível de se encontrar no Brasil um exemplar em bom estado mecânico, mas a oxidação certamente estará apenas sofrível. Na arma se encontra marcado: “Garate Anitua y Cia Eibar-Espana. TIGRE 44L”. Em alguns modelos ao que parece haveria a figura de um felino estampado na caixa da culatra.

Portanto, boa sorte e boa caçada; se encontrar uma, você terá uma Winchester sabor paella.

Vista lateral da arma

Suas características técnicas eram:

  • Comprimento: 950 mm.
  • Comprimento do cano: 510 mm (20 pol. como padrão, mas ao que parece foi produzida em diversos comprimentos) de formato cilíndrico.
  • Peso: 2,5 Kg
  • Calibre: 44-40
  • Capacidade do carregador: 12 cartuchos.
  • Raias: 6 dextrógiras
  • Alça de mira: De corrediça graduável até 1000 metros.
  • Sistema de funcionamento: Ação de Alavanca (lever action) semelhante ao sistema da Winchester Modelo 1892.

 

Artigo escrito pelo colaborador Aurelino Fábio de Carvalho Costa

Written by Carlos F P Neto

14/06/2017 às 16:11

%d blogueiros gostam disto: